O Capitão Saiu para o Almoço e os Marinheiros Tomaram Conta do Navio

Ahhhhhh……puta que pariu! Como eu queria ser mais como o Bukowski. hahaha Está ai, uma pessoa que sabe que o bagulho é visceral (expressão típica do movimento Cult Revolt, um dia explico). O cara fala tudo, da maneira que bem entende, e foda-se quem não gostar. De quebra, ainda dá lições de vida incríveis e é, logicamente, muito engraçado.

Eu já pensava em ler um livro dele a uns dois anos, mas não sei porquê, nunca li. Acho que eu já sabia que seria essa a sensação e estava guardando-a para um momento mais propício. Bom, para não enrolar muito, – ele não gostaria disso – o livro é, na verdade, um conjunto de várias notas que ele escreveu nos últimos anos de sua vida. Ele estava, pelo que me pareceu, mais ácido, mais rabugento e mais velho do que nunca!

Sei que a minha interpretação está sendo totalmente influenciada pelos meus pensamentos mais recentes, que ficam claros no último post, mas não consigo deixar de refletir sobre a questão da liberdade e de viver uma vida plena, sem peso. Porque não falamos tudo que queríamos falar para os outros? Qual é o medo? De ficarmos sozinhos? E já não estamos de qualquer jeito? Pior do que está, não fica.

Vivemos com muitos dedos, quando, na verdade, deveríamos estar babando e rasgando tudo. Engolindo o máximo e depois vomitando o excesso. Foda-se, diria ele. Passamos a vida tentando nos adequar, não desagradar ninguém, não magoar ninguém. Na escola, na faculdade, no trabalho, no namoro, na família, em qualquer lugar. E o que isso gera? Como diria outro sábio: viramos um rato corno brocha. haha Viramos uma porra de um rato encolhido, sem conseguir transar e ainda sendo traído. Não quero essa vida, obrigado.

Eu quero é viver de peito aberto. Apanhar e bater. Falar tudo que eu quis e ouvir muito pior. Reclamar que o mundo é uma merda e que as pessoas são um saco, na sua maioria. Ele, Bukowski, fala isso sempre. Pessoas vazias e idiotas que passam metade do seu tempo livre bebendo para ir para night e tirar fotos. Depois, acordam com ressaca e ficando vendo a porra das fotos e combinando a próxima bebeira. ISSO É REVOLTANTE. Elas seriam melhores empregadas puxando arados. #prontofalei

Vou aproveitar o momento de desabafo e falar mais. Afinal de contas, o papel aceita tudo e não responde. Continuando, ainda temos outras pessoas que totalmente ignorantes de si mesmas, ficam buscando soluções para suas frustrações e sofrimentos em lugares estúpidos. Gostaria de dizer para todas ela, “OLÁ, VOCÊ É A FONTE DE TODA MERDA QUE VOCÊ SENTE. PASSAR BEM.” Quase nunca faço isso. Vejo muito esse cenário, mas as fotos são mais importantes. Livro? Coisas do vovô. Tomará que sofram muito.

Do meu lado, não quero ficar frustrando com nó na garganta e coração apertado. O meu problema é um pouco diferente do parágrafo anterior. Eu, apesar de toda compreensão que o geral é mais importante que o indíviduo não consigo deixar de querer que o universo siga as minhas vontades. Nada mais justo, né? Assim, me frustro com planos supostamente perfeitos. Acho que li muito A Turma da Monica mais novo e aquele Cebolinha deve realmente ter me influenciado. haha A verdade é: o mundo está cagando para as suas vontades e o quanto tal coisa seria boa para você. As coisas acontecem apesar de mim. Às vezes eu ganho e às vezes eu perco. O que eu deveria estar tentando fazer (espero estar melhorando) é me manter flexível, retirar as amarras e ficar sempre pronto para aproveitar as tendências que aparecem, quando e se aparecerem.

Que fase!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s