Tratado do Vazio Perfeito

Livro atribuido a Lie Tse, ou Liezi. Mais um livro sobre sabedoria chinesa. Como a maioria dos livros relacionados ao taíosmo e a cultura chinesa, este livro não me deu nenhuma resposta absoluta, no entanto, desencadeou um série de pensamentos. Tenho pensado muito respeito da nossa eterna negação da morte, e o que comecei a pensar é que ninguém reclama de ter nascido. Vou me explicar melhor, ninguém pensa o que era antes de ter nascido e como foi o processo da formação da sua existência. Me parece viável que a razão, matéria e explicação do nascimento, também nos servirão de resposta para a morte, pois são transformações que ocorrem na nossa vida que são inversas, porém complementares. Eu nunca ouvi ninguém falar que nascer foi horrível, uma péssima experiência e etc… Não estou afirmando sem dúvida de que a morte vai ser igual o nascimento, mas a indicação mais palpável que tenho até agora é que sim. Alguem pode dizer que o ruim é sofrer, mas cada um pode escolher a quantidade de sofrimento que lhe cabe e se ainda vale a pena viver, apesar deste sofrimento. No meu ponto de vista, fora alguns casos excepcionais de pessoas que sofrem muito, muito cedo na vida, sem ter a chance de apreciar a vida, a grande maioria das pessoas vai na sair no lucro na equação apreciação da vida sobre dor e frustrações sentidas.
Ainda me ocorreu outro pensamento, que na verdade já tinha falado a respeito quando li “O Tratado da Eficácia“. O fato de que os chineses põem muito mais enfase nas circunstâncias do que na vontade individual da pessoa. Em outras palavras, para os chineses antigos, os resultados sejam eles negativos ou positivos, dependem muito mais situação e de como você consegue enxergá-la, do que das capacidades de cada individuo. Novamente gostaria de lembrar do xadrez, que é um jogo que ilustra muito bem estas idéias no sentido estratégico, seja de um general ou de um administrador. Na minha opinião, o que diferencia um administrador do outro, é sua capacidade de visualizar a situação com a mesma quantidade de informação. E isso é exatamente o que acontece no xadrez, os 2 adversários tem a mesma quantidade de informação, porém o jogador superior vai enxergar muito mais que o inferior. Nesse caso, a pessoa tomadora de decisão é quase forçada e tomar tal decisão, se ela deseja ter um bom resultado. Para eles o segredo do bom comandante ou jogador, é identificar as tendências enquanto elas ainda se apresentam sutilmente e entrar em conssonância com elas, para quando elas estiverem maiores e realizadas, você terá crescido junto delas, não por seu merito, mas por elas próprias.

Clique aqui para saber mais sobre este escritor

Anúncios

2 comentários sobre “Tratado do Vazio Perfeito

  1. Leandro, gostei muito do seu blog. Além de abordar vários assuntos culturais, como filosofia, literatura e cultura oriental, você também é original, criativo e, quando necessário, crítico. Quando não gosta de alguma coisa num livro, você fala mesmo. E também tem propostas originais e muito interessantes, como aquela do ônibus com biblioteca. Compartilho das suas idéias. Recentemente, também publiquei uma mensagem sobre morte no meu blog, que trata de culturas orientais em geral: http://blog.livrariaoraculo.com.br/2008/06/30/a-beleza-da-morte-e-a-sua-incerteza/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s